Modalidade desportiva onde à partida, cada praticante recebe um mapa com pequenos círculos marcados que correspondem a postos de controlo, assinalados no terreno por balizas (prismas de cores laranja e branca), estando estas acompanhadas de um sistema de controlo para que o praticante comprove a passagem por cada posto.
A escolha do itinerário entre cada posto de controlo é uma opção do próprio praticante! Cada posto de controlo é uma meta e, simultaneamente, a partida para um novo desafio. Cruzando ribeiros e florestas, o praticante sente-se parte integrante do espaço que percorre. A velocidade de movimento tem que ser acompanhada pela velocidade de raciocínio para ler o mapa e interpretar a relação mapa / terreno, ponderar sobre as várias opções de itinerário, decidir!
Neste Evento, será usado o sistema de picotagem electrónico SPORTident. Cada atleta ou equipa tem de usar durante a prova um chip electrónico, que pode ser alugado no acto da inscrição (para quem não possuir), e serve para comprovar a passagem do atleta ou equipa pelos postos de controlo. Para mais informações consultar http://www.joaomota.com/pt/sportident.html
No caso de mau funcionamento da estação SPORTident, deverá ser usado o sistema manual, picotador, para “picar” nas Reservas R1, R2 e R3 existentes no Mapa; Percurso de Orientação em que se usam mapas ricos em pormenores, diferentes tipos de navegação e velocidade quer derivado do tipo de floresta e seus pormenores (relevo, áreas rochosas, vegetação), quer pelos próprios percursos, suas mudanças de direcção e localização dos postos de controlo. Com duração entre 20 minutos para escalões infantis e 35 minutos para escalões de elite, a característica predominante deverá ser a leitura detalhada do mapa e uma elevada concentração ao longo do percurso. O tempo máximo para a realização deste percurso é de 2 horas.
Dias 19 e 20 de Janeiro;
  • Mapas: Lamas de Olo e Muas;
  • Escala de 1 : 10 000 com equidistância de 5 metros, produzidos em Agosto de 2004, actualizados e aumentados em Novembro de 2007;
  • Caracterizando-se essencialmente da seguinte forma:
    • De relevo médio, situado entre 900 e 1000 metros de altitude;
    • Terreno de boa progressão alternando com vegetação rasteira característica de terrenos de altitude e pormenores rochosos;
    • Poucos caminhos e trilhos;
    • Predominância de elementos característicos associados ao relevo como cotas, colinas, reentrâncias, buracos, pedras e escarpados.
    Para quem não conhece, aqui ficam os mapas, de 2004, do Alvão.